domingo, 2 de agosto de 2009

1532. OUTRA VEZ SOBRE O ANONIMATO

Como em tudo na vida há anonimato bom e anonimato mau. Há quem faça bom uso e mau uso dele. O anonimato pode ser uma cobardia, mas também pode ser uma liberdade. O primeiro é um lixo, o segundo é um direito. Num país de consciência cívica diminuta, habituado a ser tratado pelos poderes como um país de carneiros, onde se faz depender a licençazinha, o empreguinho, o subsídiozinho, a benessezinha, o lugarzinho, da obediência cega e da acefalia molusquiforme, o anonimato pode ser até um refúgio de saúde mental para quem, necessitando de sobreviver e alimenatar as bocas da família, se vê constrangido a engrossar o rebanho, sem ordem para emitir o mais leve pio. O blogue de O Templário decidiu eliminar os comentários anónimos que não raro só servem para intrigar, mentir e insultar alguém. É um direito que lhe assiste. Eu próprio, que julgo fazer bom uso do anonimato, não o utilizando para insultar, mentir ou intrigar, já estive uma vez para fazer o mesmo. Apelei ao bom senso dos leitores e até agora não foi necessário recorrer a essa drástica e antipática medida. Mas quero aproveitar este momento para esclarecer os leitores que o autor deste blogue não se chama José Gaio e também não se chama Isabel Miliciano. É por isso de extrema injustiça associá-los ao Nabantia, como sei que algumas pequeninas intrigas tão próprias do pequeno mundo de Tomar, fazem insistentemente. Sim, estou bem informado e isso dói e é, eu sei, inconveniente. O segredo é uma das armas dos medíocres. Mas, de uma vez por todas, párem com a mentira e com a falsidade. E desistam. Não direi quem sou até me apetecer. Tenho suficientes anos de vida para não me deixar subjugar por pressões nem ameaças anónimas, que também já as tive. Para cá vêm de carrinho... e deixem o José Gaio e a Isabel em paz. Apesar dos incómodos que o Nabantia já lhes causou e de que o autor destas linhas lhes pede desculpa, ele seguirá o seu caminho. Com a liberdade e os limites de sempre.

3 comentários:

Sigillum disse...

São os efeitos do Conhecimento.

Quando alguém se apresenta assim, os vis, os rasteiros, e os maldicentes e mal pensantes, atacam.

A caravana, essa, continua a passar.

Anónimo disse...

Sr. Nabantia, pela parte que me toca, agradeço-lhe essa informação.
Votos de um bom trabalho.

Isabel Miliciano

Ametista disse...

Apoiado.