quarta-feira, 10 de setembro de 2008

458. ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS (5)

O PS tem um enorme dilema: como justificar nova derrota em Tomar sem que António Paiva seja candidato, ao contrário do que sucedeu há quatro anos? Dos municípios mais significativos do distrito de Santarém o PS tem Torres Novas e Abrantes. Esta é uma situação desagradável para Jorge Lacão, o líder distrital do PS e secretário de Estado da Presidência do Conselho de ministros, um lugar de extrema importância no Governo e de enorme confiança do Primeiro-Ministro. À primeira vista não se identifica em Tomar nenhum candidato com élan de vitória. A oposição do PS ao executivo municipal, mesmo com a debilidade política que a maioria PSD passou a ter com a fuga de António Paiva, padece da ressaca das malfeitorias de Pedro Marques, tem sido inconsequente e a verdade é que o PS não foi capaz de projectar um candidato que, a um ano de eleições, apareça com possibilidades de disputar a Camara. Resta a solução externa, uma personalidade de dimensão nacional, que suscita sempre enormes desagrados nas estruturas locais dos partidos, mas que poderá estar neste momento a ser ponderada pelo PS. O facto de a próxima eleição ser uma eleição aberta sem a recandidatura de Paiva poderá motivar algum dirigente nacional socialista a tentar uma experiência autárquica. E não me admirava nada que o PS de Tomar viesse a ser o último a saber...

2 comentários:

Anónimo disse...

Excelente análise. Parabéns.

Tomar disse...

Caríssimo,
não vou comentar as análises que faz quanto ao PS, são a sua opinião, ainda que caia na tentação que muitas vezes ocorre de as apresentar como factos, o que indiscutivelmente não são. As realidades e as verdades dependem sempre de diversas questões além da própria perspectiva que tomamos ao nos colocarmos sobre elas e que estão quase sempre muito longe de factores objectivamente factuais.

Em todo o caso o que me fez escrever este comentário ao passar os olhos pelo seu blogue são dois reparos, esses sim factos absolutos que não posso deixar de repor, derivados seguramente de uma pequena distracção sua. A primeira é a de que Jorge Lacão há muitos anos não é líder da distrital socialista tendo aliás muito pouco "peso" na estrutura da Federação. O actual presidente é António Rodrigues, presidente da Câmara de Torres Novas, e a partir das eleições no próximo mês, pode-se já dizer que voltará a ser, uma vez que à partida será candidato único, Paulo Fonseca, actual Governador Civil.
O segundo reparo é a de que só mesmo por desconhecimento dos estatutos socialistas, da forma de actuação interna do PS, e igualmente do "peso" de Tomar na estrutura, alguém poderá imaginar que alguma coisa para Tomar pudesse (por muito que isso custe a algumas "personalidades") ser decidida fora de Tomar, e ainda para mais sem o conhecimento dos dirigentes locais.
Sem hipótese de dúvida, no PS Tomar, decidem os tomarenses.

Continuação de bons posts, abraço,
Hugo Cristóvão
Presidente do PS Tomar